Cyro Martins - Instituto de Psiquiatria

Artigos

O Instituto Cyro Martins disponibiliza artigos interessantes para o conhecimento e atualização de nossos estudantes e profissionais. Confira você também nosso material de leitura.

Rompendo com o Pacto de Silêncio

Publicado dia: 28/11/2017


Recentemente foram publicados nas mídias acusações contra o produtor Hollywoodiano Harvey Weinstein de assédio sexual e estupro. Acreditamos que todos ficaram chocados com a notícia inclusive de estas terem partido de atrizes muito famosas como Angelina Jolie. Mas o que é mais impactante nisso tudo é que esses episódios ocorrem com maior frequência do que podemos imaginar. Em locais públicos, de trabalho, e até mesmo no núcleo familiar. E o que fazer quando ocorre esse assédio? Por que será que as vítimas levam tanto tempo para denunciar?

 

Muitas mulheres além de terem medo, sentem-se acuadas e constrangidas, não sabendo a quem recorrer de fato. Questionamentos como: “E se ninguém acreditar em mim?”, E se o homem que me assediou é rico e importante?”, “Será que vão pensar que estou fazendo essa acusação para obter recursos financeiros?”, infelizmente são recorrentes.

 

Percebemos que esses questionamentos se perpetuam por gerações, tendo em vista que quando acontece uma denuncia pública outras vítimas acabam se manifestando, inclusive podendo ter sido vitimadas pelo mesmo abusador. E qual a importância de falar e dar voz a essa questão importante, ainda que muito falada e pouco denunciada?

 

Nesses casos o papel do psicólogo é de suma importância, pois através da escuta e intervenções psicoterapêuticas podem-se minimizar os efeitos traumáticos dessa violência. Buscamos, também, acentuar a capacidade de resiliência de cada uma das pessoas, para assim, poder lidar com o ocorrido, analisar o que aconteceu e poder seguir a vida em frente e da melhor forma. Para elaboração do trauma é necessário a fala do paciente e a escuta do terapeuta.

 

Ressaltamos que o assédio não é exclusivo do público feminino, mas também ocorre com qualquer pessoa em qualquer idade.

 

Se você está passando por essa situação ou conhece alguém que esteja com esse mesmo problema, saiba que existem formas de denunciar e romper o pacto de silêncio!

 

Para denuncia de violência sexual infanto-juvenil:

 

Conselhos Tutelares

Os Conselhos Tutelares foram criados para zelar pelo cumprimento dos direitos das crianças e adolescentes. A eles cabe receber a notificação e analisar a procedência de cada caso, visitando as famílias. Se for confirmado o fato, o Conselho deve levar a situação ao conhecimento do Ministério Público.

 

Varas da Infância e da Juventude

Em município onde não há Conselhos Tutelares, as Varas da Infância e da Juventude podem receber as denúncias.

Outros órgãos que também estão preparados para ajudar são as Delegacias de Proteção à Criança e ao Adolescente e as Delegacias da Mulher.

 

Pelo app www.protejabrasil.com.br
Disque 100 – Disque Direitos Humanos

 

Autoras:

Laura Cohen CRP 07/15388 – Psicóloga do Instituto Cyro Martins
Samantha Sittart CRP 07/23534 – Psicóloga do Instituto Cyro Martins

Artigo escrito por:
Instituto Cyro Martins

O Instituto Cyro Martins é uma instituição cientifica que visa o ensino, a prevenção e tratamento em saúde mental, com a participação de uma equipe multidisciplinar.



Gostaria de ler sobre algum assunto que não encontrou aqui? Deixe uma Sugestão

X